MENU

terça-feira, 19 de julho de 2011

VINGANÇAS

with 0 comentários
VINGANÇAS

Incrível como a vingança faz parte da vida do homem moderno. Como o casal em que o homem aceita um convite para jantar sem consultar a esposa. Ela se sente desvalorizada e na noite do jantar acaba se atrasando. Agora é a hora de ele se sentir desvalorizado, e não conversa com ela durante o jantar. Aí ela começa a beber... Aí ele começa a flertar com outra... Aí ela começa a se comportar inadequadamente... Voltam para casa. Ele briga com ela. Aí ela começa a chorar. Aí... Aí...ela decide não mais sair com ele... Aí ele decide não mais sair com ela... Então ficam mais solitários. E os dois perdem seu tempo (que poderia ser de prazer). Desperdiçam suas vidas. É dramático perceber como faz parte dos pensamentos das pessoas o já famoso “Ele (ela) vai ver!!!” Mais dramático ainda é ver como as pessoas não se importam em prejudicar sua vida para vingar-se de outras. Basicamente existem dois tipos de vingança: a ativa, em que o vingador realiza atos de agressão direta ao outro, como falar mal, despedir do emprego, abandonar, trair a confiança. A outra maneira é a passiva, na qual o vingador realiza a vingança pelo não fazer, como não estudar, não procurar, não falar, não compartilhar. Muitas vezes uma pessoa pede uma carícia para a outra durante muito tempo e com muita intensidade. Se não a consegue, pode iniciar um processo de vingança para ser reconhecida. Um garoto cujo pai ironizava sua capacidade resolveu vingar-se e superar o pai, conseguindo bem mais do que ele havia conseguido. Poderia também se vingar não conseguindo nada, e deixando o pai se sentir também um fracasso por ter um filho que fracassou. Analise se as condutas vingativas fazem parte de sua vida. O vingador é alguém que, freqüentemente, não faz o melhor para si mesmo porque a pessoa com quem está em conflito quer que ele adote essa conduta. É como o adolescente que, mesmo querendo estudar,não o faz para não dar o “braço a torcer” ao pai. Ou o marido que não pára de beber para não aceitar o conselho da esposa, com quem está brigado. Para uma pessoa que está na posição vingativa, é importante pensar na seguinte frase: “Eu vou fazer o melhor para mim, mesmo que a pessoa com quem eu estou em conflito também queira que eu faça isso”.(De “A carícia essencial – uma psicologia de afeto”, de Roberto Shinyashiki)

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!