terça-feira, 9 de julho de 2013

Música Espacial

Música Espacial

            Um dos observatórios da NASA descobriu um buraco negro gigante que cantarola. Localizado no aglomerado de galáxias Perseus cerca de 250 milhões de anos-luz da Terra, o buraco negro vibra na frequência de um Si Bemol. Mas é uma frequência baixa demais para ser captado pelo ouvido humano. Os instrumentos científicos situaram a nota 57 oitavas abaixo da nota  central de um piano.
            A ideia da música e corpos celestes não é nova. Na verdade, quando Deus se revelou a Jó, Ele perguntou: “Onde estavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? […] quando as estrelas da alva, juntas, alegremente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus?” (Jó 38:4,7). Disseram-nos que na criação de nosso universo maravilhoso, os cânticos de louvor e gritos de alegria ecoaram para a glória de Deus.
            Um hino maravilhoso de São Francisco de Assis capta a admiração e a adoração que sentimos ao contemplarmos o sol radiante de dia ou o céu cheio de estrelas à noite.
Todas as criaturas do nosso Deus e Rei,
Levantem sua voz e conosco cantem Aleluia, Aleluia!
Tu sol ardente com feixe de ouro,
Tu lua de prata com brilho suave:
Louvai-o, Louvai-o!
Aleluia! Aleluia! Aleluia! (tradução livre)
            “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos (Salmo 19:1). Louvemos ao Único que fez tal beleza para apreciarmos!

FONTE:
H. Dennis Fischer

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!