MENU

quarta-feira, 18 de julho de 2012

os animais


OS ANIMAIS
Comecemos pelos animais por nós chamados de selvagens: o leão, o tigre, a hiena, o urso, o elefante, o crocodilo...
Quantas vezes vimos esses irmãos animais obedecerem ao domador ou à domadora, fielmente, e até em números difíceis, dificílimos... Fico pensando com que olhos os chamados animais selvagens nos verão a nós, criaturas humanas, animais não selvagens, animais racionais, ao saberem das guerras em que nos estraçalhamos, tanto mais felizes quanto mais conseguimos armas de poder destruidor sempre maior!
E no Novo Testamento, São Tiago, inspirado pelo Espírito Santo, continua afirmando, através dos séculos, que todos os animais são domesticáveis e têm sido efetivamente domesticados... Mas o apóstolo afirma que ninguém é capaz de domesticar a própria língua.
Chamamos animais domésticos os que facilmente vivem em nossas casas, amigos de todos, a começar sobretudo das crianças.
Os principais mesmo são cachorro e gato. Curioso é que os dois não se dão. Mesmo constando entre os familiares da mesma casa e sendo amigos, facilmente veem voltar à tona a velha desconfiança mútua e uma ponta de agressividade...
Homem e cachorro se entendem muito bem. O cão --- como costumamos chamar o cachorro --- é um símbolo de fidelidade. Quando o dono viaja, como sente! Quando o dono regressa, é comovedora a alegria do cão, que ele manifesta sobretudo pelo balançar da cauda.
Perdoem que eu lembre aqui o fecho de um soneto dedicado a cão fidelíssimo, por um homem sofrido:
                    “Se entre os amigos encontrei cachorro
                    entre os cachorros, encontrei-te, amigo”.
Há quem domestique saguis, passarinhos e até leões... Como seria bom que, ao menos nós, que nos sabemos animais, mas logo ajuntamos, animais racionais, usássemos a cabeça, o juízo.
Ou, então, quem sabe, fizéssemos uma experiência com animais governando o mundo durante algum tempo.
Será que eles suspenderiam a corrida da fabricação de armas? Será que enfrentariam a batalha da fome? E das injustiças na política internacional do comércio?
Será que tentariam criar um mundo mais justo e mais pacífico? Irmãos animais! Será que vos lembrais do boi e do burro em volta do presépio do Menino Deus? Vamos, por um instante, louvar o nosso Criador, já que tantos homens passam dias inteiros sem um pensamento de gratidão e amor para com o nosso Deus e nosso Pai?
Do livro UM OLHAR SOBRE A CIDADE, de D. Helder Câmara-3ª edição/2009-PAULUS