AS AVES

AS AVES

Vamos recordar alguns dos nossos pássaros?

Gosto muito dos nossos canários... Não falo dos canários belgas. Falo
dos nossos canarinhos... Como cantam!

E as graúnas? Entendo que haja bastante gente apaixonada pelo canto da graúna...

Envergonho-me de dizer: tenho ouvido tantos elogios à patativa e nunca
tive um encontro com ela... Já me disseram (não sei se é exagero) que
pode haver canto igual: melhor, não!

E o galo-de-campina? Ele canta, também, com muitos fãs...

Já andei perguntando a muita gente, dos nossos passarinhos, qual o
que, no tocante a canto, rivaliza com o rouxinol... Quem gosta de
corrupião? e de ferreiro?

Hás pássaros que podem não ter voz, mas têm voo lindo... Quem não
gosta de andorinhas? Acho que muito aviador deve ter sua ponta de
inveja das andorinhas...

As gaivotas estão imortalizadas pela vida de Fernão Capelo...

As aves de arribação me comovem: em busca de um pouco de sol, fugindo
do frio excessivo, atravessam em bando o oceano...

Custa-me ver pássaros presos... Mesmo que sejam em viveiros que
parecem casa. O pior é que, quando os pássaros se acostumam em
gaiolas, onde têm alpiste certo, água fresca para banho e para beber,
mãos amigas para manter limpa a gaiola, pode-se abrir a porta à
vontade... Podem até dar alguns volteios... Mas voltam à gaiola.
Habituaram-se a comer sem fazer força para arranjar alimento.

Há um esporte que parece desumano: é o tiro ao voo... Homens armados
de pistolas aguardam que soltem pássaros, para exercitar a pontaria
procurando atingi-los em pleno voo...

Há restaurantes que servem pássaros assados. Parece-me covardia: matar
quem vivia voando e cantando, enriquecendo o espaço com seus volteios
e encantando nossos ouvidos com seus cantos...

Pássaros do Senhor, louvemos o Senhor! Canários, graúnas, patativas,
galos-de-campina, cantai, cantai ao Criador e Pai, em nome de todos os
que nos afogamos na correria do dia a dia e não temos tempo para Deus.

Gaivotas e aves de arribação, com os vossos mais belos voos, louvai,
louvai o Criador e Pai, em nome de todos os que nos afogamos na
correria do dia a dia e não temos tempo para Deus!

Do livro UM OLHAR SOBRE A CIDADE, de D. Helder Câmara-3ª edição/2009-PAULUS

Um comentário:

Anônimo disse...

Realmente,é muito triste ver um pássaro na gaiola.
Pior ainda é saber que existem pessoas por aí atirando nos passarinhos por diversão.

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

copyright © . all rights reserved. designed by Color and Code

grid layout coding by helpblogger.com