MENU

segunda-feira, 29 de julho de 2013

As Regras do Desvencilhar

            Uma pequena área do meu jardim parecia simplesmente não funcionar. A grama sempre parecia escassa nesse ponto, indiferente do quanto eu regasse.
            Portanto, certo dia finquei uma pá neste pedaço problemático do meu jardim e descobri o problema: Logo abaixo da superfície havia uma camada de pedras de cerca de sete centímetros de profundamente. Substitui as pedras por um solo rico no qual as novas sementes poderiam se enraizar.
            Jesus falou sobre sementes e solos. Em uma parábola no livro de Mateus 13 sobre o que acontece quando a semente do evangelho é semeada em vários tipos de terreno, Ele afirmou que as sementes que caem em pedras e não há “terra bastante” crescem rapidamente, mas em seguida, queimam com o sol (Mateus 13:5-6). Ele se referia a alguém que ouvira e recebera o evangelho, mas em cuja vida a mensagem não se enraizara. Quando as dificuldades chegam, esta pessoa – que não é um verdadeiro cristão – cai.
            Podemos ser bem agradecidos pelas palavras de Jesus que concluem esta parábola: “… o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende; este frutifica…” (Mateus 12:23). Que lembrete útil – o privilégio e a responsabilidade acompanham a nossa salvação.
            Louve a Deus pela semente do evangelho e pelo solo de crescimento espiritual.

FONTE:
J. David Branon

As Regras do Desvencilhar

Regras do Desapego

            Em seu livro Jogue fora 50 coisas (Ediouro, 2010), a autora Gail Blanke destaca quatro “Regras do Desapego” para ajudar as pessoas a eliminarem a desordem de suas vidas. A primeira regra declara: “Se isso… lhe traz peso, entulha ou simplesmente faz você se sentir mal consigo mesmo, jogue fora, dê, venda, deixe-o ir, siga em frente”.
            Acho que esta regra de desapego tem uma aplicação espiritual também: Não devemos permanecer ligados ao pecado do passado. Os irmãos de José lutaram com isto. Anos depois de terem vendido José como escravo, recordaram-se de sua crueldade e temiam vinganças (Gênesis 50:15). Assim, enviaram uma mensagem a José, implorando por perdão (Gênesis 50:16-17). Eles fizeram isto apesar das ações misericordiosas e garantias demonstradas anteriormente pelo irmão deles (Gênesis 45:4-15).
            Muitos de nós permanecemos ligados às antigas ofensas apesar da misericórdia e do perdão daqueles a quem podemos ter ferido. No entanto, a verdadeira liberdade surge quando confessamos a nossa transgressão a Deus. Ele a perdoa (1 João 1:9) e nos afasta dela (Salmo 103:12). Como o versículo de Miqueias 7:9 afirma, Ele lança nossos pecados nas profundezas do mar! Por causa disto, podemos nos lembrar de que o Filho nos libertou e nós somos verdadeiramente livres (João 8:36).

FONTE:
Jennifer Benson Schuldt

Regras do Desapego