MENU

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Meu irmão e eu chegávamos sempre em casa com muita fome, ao regressar da escola.
 
Um dia, como eu pedisse de comer, minha mãe pôs-nos diante de meio bolo, na mesa da cozinha.
 
Colocando uma faca ao lado do bolo, disse:
 
- Um de vocês vai cortar o bolo, mas o outro vai poder escolher, em primeiro lugar, o seu pedaço.
 
Meu irmão, querendo fazer-se de esperto, deitou logo mão da faca e ia, evidentemente, cortar o bolo em dois pedaços desiguais.
 
Mas, de repente, parou. Olhando primeiramente para nossa mãe e, depois, para mim, cortou o bolo exatamente no meio.
 
E esperou que eu me servisse.Qualquer pedaço que eu escolhesse daria no mesmo: nenhum de nós sairia prejudicado.
 
E comemos, alegremente, as porções idênticas.
 
Desde então, fosse o que fosse que houvesse a repartir - pão com manteiga, doces, pastéis, bolos ou balas -, tudo era sempre dividido conscienciosamente em partes iguais.
 
Isso nos ensinou um respeito, que nunca conheceu arrefecimento, para com os direitos daqueles com quem tínhamos que compartilhar alguma coisa.
 
Da obra "E, Para o Resto da Vida...", Wallace Leal V. Rodrigues, ed. O Clarim.

O Bolo

Ser Hospitaleiro
 
            No Novo Testamento, a hospitalidade é a marca registrada da vida cristã. Está na lista das características dos líderes da igreja (1 Timóteo 3:2; Tito 1:8) e está ordenado a todos os seguidores de Jesus como uma expressão de amor (Romanos 12:13; 1 Pedro 4:9). Mas seu significado vai além de ser um bondoso anfitrião ou abrir nossos lares para convidados.
            A palavra "hospitalidade" no grego significa "amor pelos estranhos". Quando Paulo fala sobre "praticai a hospitalidade" (Romanos 12:13), ele está nos convocando a buscar relacionamentos com pessoas que estão em necessidade, e esta não é uma tarefa fácil.
            O escritor Henri Nouwen compara estas palavras à maneira de alcançarmos aqueles que encontramos em nossa caminhada pela vida – que possam estar afastados de sua cultura, país, amigos, família, ou até mesmo de Deus. Nouwen escreve: "Hospitalidade, portanto, significa primeiramente a criação de um espaço livre onde o estranho possa entrar e tornar-se um amigo, em vez de inimigo. Hospitalidade não é para mudar pessoas, mas para oferecer-lhes espaço onde mudanças possam acontecer.
            Se habitamos numa casa, num dormitório em uma universidade, numa cela de prisão, ou num alojamento militar, podemos acolher os outros como uma maneira de demonstrar nosso amor por eles e por Cristo. Hospitalidade é dar espaço para as pessoas que têm necessidades.
 
FONTE:
David C. McCasland
Nosso Andar Diário – Ministério RBC
MENSAGENS Q EDIFICAM

Ser Hospitaleiro

anjo amigo

Não existe nada melhor para trazer a felicidade para o nosso coração do que o sorriso de uma criança...

É simplesmente renovante... Não existe explicação para a alegria que nos domina quando presenciamos este fato...

As crianças tem amor no coração naturalmente... Agem dentro da simplicidade e da inocência que só nesta época da vida se tem...

Dia 12 de outubro é Dia das Crianças...

O Sorriso de uma criança

Você não agüenta mais?